Felisquié realiza encontro de contadores de histórias e planeja ampla programação artística-literária

Mais de 300 pessoas participaram no sábado, 1 de abril, no Auditório Waly Salomão da Uesb – Campus de Jequié, do I Encontro de Contadores e Contadoras de História da Festa Literária  Internacional do Sertão de Jequié, que já planeja uma ampla programação  artística-literária para o período de 2 a 4 de junho, quando vai ser realizada a terceira edição da Felisquié.

Professores, alunos  e pessoas de vários segmentos  de diversos municípios baianos   ouviram e puderam dialogar   com  os  contadoras de História Danielle Andrade,  Eduardo Oduduwa e Acely Araújo, que falaram sobre a arte de narrar e como contar histórias para as crianças, adultos, idosos e pessoas com necessidades especiais  e qual a metodologia  mais adequada para a contação em sala de aula.  Os participantes puderam ouvir  também desde narrativas tradicionais  e contemporâneos aos contos afro-brasileiros,  que foram acompanhados por instrumentos musicais africanos tocados pelo contador de histórias, que é também  percussionista Eduardo Oduduwa. Os participantes tiveram oportunidade também  de contar histórias.

 De acordo com o curador da Felisquié, o escritor  Domingos Ailton, a III edição do evento deve ganhar uma Sessão Especial na Câmara de Vereadores de Jequié. “Queremos que a  Felisquié, que é um evento que incentiva a leitura e permite o contato com grandes nomes da arte e da literatura com o público, faça parte da política cultural do município de Jequié  e tenha lugar no calendário de eventos da cidade”, ressalta o romancista jequieense.

A III Edição da Felisquié, que teve lançamento no show O Canto das Mulheres, realizado dia 8 de março em Jequié, deve ser lançada em Salvador no início do mês de maio, com palestras e apresentações culturais.

A Felisqué,  que  conta apoio do Fundo Estadual de Cultura através do Edital de Literatura da Funceb, pretende ampliar as parcerias. O curador Domingos Ailton já procurou a Empresa e Editora  Gráfica da Bahia, a Uesb,  as secretarias municipais de Cultura e Turismo  e de Educação de Jequié, o Nucleo 22 de Educação, o Sesc e    nos próximos deve ter audiência  com a direção  da Bahiatursa,  para que a ampla programação que está sendo planejada possa ser concretizada, o que deve atrair um grande número de pessoas para Jequié de diversas regiões da Bahia e do Brasil.

A Curadoria da Felisquié pretende levar a para terceira edição  nomes como  do  crítico literário Eduardo Coutinho, da atriz Ingrid Liberato, do poeta Antônio Cícero, dos cineastas Alba e Chico Liberato, do historiador e quadrinista Sávio Roz, dos escritores Aleilton Fonseca  e Mouzar Benedito e do cantor e compositor  Danilo Caymmi, que além de realizar uma palestra sobre Tom Jobim (homenageado pelos 90 anos de nascimento), fará um show com músicas do maestro autor de Garota de Ipanema. A Felisquié contará também com nomes  do exterior, a exemplo   do presidente do Parlamento Internacional dos Escritores de Colômbia,  Joce Daniels e de Eduardo Quive, escritor de Moçambique.

“ Além da homenagem a Tom Jobim, outras  homenagens serão feitas à nomes que contribuíram para o desenvolvimento literário e cultural da região de Jequié, da Bahia e do Brasil, a exemplo de Maria Lúcia Martins, Stela Câmara Dubois, Lindolfo Rocha,  Carolina Maria Maria de Jesus e Rodolfo Coelho Cavalcanti e  aos 50 anos do Tropicalismo”, destaca Domingos Ailton acrescentando que a festa literária terá feira e lançamentos de livros, exposições, palestras, oficinas e exibições de filmes  e o tema da terceira  edição é  “O cangaço na Literatura de Cordel: do sertão para o mundo”, devendo contar também com  participação de cordelistas e estudiosos do cangaço.

Ascom da Felisquié.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *